O Despertar do Mundo e a Fonte da Eternidade

Capítulo 1.5 . The Waking World and the Well of Eternity

Dez mil anos antes de Orcs e Humanos travarem a sua primeira guerra, o mundo de Azeroth era composto por um único continente, rodeado pelo mar. Esse pedaço de terra, conhecido como Kalimdor, era lar de inúmeras criaturas e raças, tentando sobreviver entre os selvagens elementos deste mundo. No centro do continente havia um misterioso lago de energia cintilante. O lago, que mais tarde seria chamado de Well of Eternity, era a verdadeira fonte das forças naturais e místicas do mundo. Extraindo suas energias do Grande Vazio, a fonte atuava como uma provisão mística, enviando suas potentes energias ao para o mundo e nutrindo a vida em todas as suas maravilhosas formas.

Nessa época, uma tribo de humanóides noturnos foram lentamente se instalando ao redor do hipnotizante lago encantado. Os selvagens e nômades humanóides, atraídos pelas estranhas energias do lago, construíram lares rústicos ao redor de suas margens. Com o passar do tempo, as energias cósmicas do lago afetaram a tribo, tornando-os fortes, sábios, e praticamente imortais. A tribo adotou o nome Kaldorei, que significava “crianças das estrelas” em sua língua nativa. Para celebrar sua nova sociedade, eles construíram grandes estruturas e templos ao redor do lago.

Os Kaldorei, ou Night Elves (Elfos noturnos), como seriam conhecidos mais tarde, adoravam a Deusa da Lua, Elune. E acreditavam que ela repousava nas profundezas do lago durante o dia. Os primeiros Priests (padres) e Seers (videntes) night elves estudaram a fonte com insaciável curiosidade, levados a desvendar seu poder e seus mistérios. Enquanto sua sociedade crescia, os night elves exploraram Kalimdor e encontraram outras raças. Mas as únicas criaturas que lhe despertaram maior curiosidade foram os antigos e poderosos dragões. Os grandes e sinuosos seres eram frequentemente reclusos, mas faziam de tudo para proteger suas terras contra ameaças em potencial. Os night elves descobriram que os dragões tinham a si mesmos como guardiões do mundo, e concordaram que era melhor deixar de lado seus mistérios.

A curiosidade dos night elves os levou a conhecer inúmeras poderosas entidades, não menos importantes do que foi Cenarius, um poderoso semi-deus das florestas primordiais. O bondoso Cenarius nutriu afeição aos curiosos night elves e passou muito de seu tempo ensinando-os sobre a natureza. Os pacatos Kaldorei construíram forte empatia pelas florestas vivas de Kalimdor, fazendo parte do harmonioso equilíbrio natural.

Com o passar de infindáveis eras, a civilização Night Elf se expandiu tanto territorial quanto culturalmente. Seus templos, estradas e habitações espalharam-se por todo o continente. Azshara, a bela e talentosa rainha Night Elf, construiu um imenso e imponente palácio à beira do Well of Eternity, que abrigava seus súditos favoritos nos aposentos decorados. Seus súditos, aos quais ela chamou de Quel’dorei, ou Highborne, atendiam aos seus comandos e acreditavam serem mais importantes do que o restante de sua raça. Embora a Rainha Azshara amasse igualmente todo o seu povo, os Highborne eram secretamente invejados pelos outros night elves.

Compartilhando a curiosidade dos sacerdotes à respeito do Well of Eternity, Azshara ordenou os Highborne a sondarem seus segredos e revelar seu real propósito ao mundo. Os Highborne se empenharam em trabalhar e estudá-la. A certa altura, eles desenvolveram a habilidade de manipular e controlar as energias cósmicas da fonte. Com a progressão de suas experiências, os Highborne começaram a achar que podiam usar seus recém-descobertos poderes pra criar ou destruir como forma de prazer, ou passatempo. Os imprudentes Highborne tinham descoberto energias primitivas e resolveram se devotar ao seu domínio. Apesar de concordarem que a magia era inerentemente perigosa se manuseada com irresponsabilidade, Azshara e seus Highborne começaram a praticar suas habilidades mágicas com negligente abandono. Cenarius e alguns sábios estudiosos alertaram que somente a desgraça poderia resultar de brincarem com as instáveis artes da magia. Porém, Azshara e seus seguidores teimaram em continuar a expandir seus aflorados poderes.

Conforme aumentava o seu poder, uma distinta mudança ocorreu em Azshara e nos Highbornes. Sua classe altiva, superior e indiferente, passou a ser cada vez mais cruel e insensível para com seus semelhantes. Uma sombria expressão pairava na outrora esfusiante beleza de Azshara. Ela começou a se desinteressar pelos seus habituais prazeres e se recusar a interagir com quaisquer de seus sacerdotes.

Um jovem intelectual chamado Malfurion Stormrage, o qual havia dispendido grande parte de seu tempo estudando as artes primitivas do druidismo, começou a suspeitar que um terrível poder havia corrompido os Highborne e sua amada Rainha. Apesar de não conceber que tipo de ameaça estava por vir, ele sabia que a vida dos night elves se transformaria para sempre.

Próximo Capítulo: A Guerra dos Antepassados

Wow Lore

Tradução: Éric Coutinho

.

Clique pra curtir a página no Facebook

Comenta aí embaixo pra compartilhar no Facebook!

You may also like...

1 Response

  1. Maka Albarn says:

    Legal o começo da raça dos Night Elves, uma das minhas raças favoritas no War 3, e pelo visto, muitos problemas ainda estão por vir. o.o

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *