Kel’Thuzad e a formação da Scourge

Capítulo 4.10 . Kel’Thuzad and the Forming of Scourge

Warcraft Lore . Alliance and Horde: Kel'Thuzad and the Forming of the Scourge

Alguns poderosos indivíduos espalhados pelo mundo ouviram o chamado mental do Lich King. O mais notável deles era o Archmage de Dalaran, Kel’Thuzad, que era um dos membros permanentes do Kirin Tor, conselho governante de Dalaran. Ele era considerado um dissidente por conta da sua insistência em estudar as artes proibidas da necromancia. Inclinado a aprender tudo que podia do mundo mágico e todas as suas sombrias maravilhas, se frustrava pelos preceitos de seus iguais, que ele considerava antiquados e sem imaginação. Depois de ouvir os poderosos chamados de Northrend, o Archmage reuniu todas as suas forças para se comunicar com a misteriosa voz. Convencido de que o Kirin Tor era escrupuloso demais para avaliar o poder e o conhecimento inerente às artes das trevas, ele resignou-se a aprender o que podia do imensamente poderoso Lich King.

Deixando pra trás sua fortuna e prestígio político, Kel’Thuzad abandonou o caminho do Kirin Tor e deixou Dalaran para sempre. Incitado pela voz persistente do Lich King em sua mente, vendeu seus bens e guardou sua fortuna. Viajando sozinho por muitos quilômetros, tanto na terra como no mar, ele alcançou finalmente as praias geladas de Northrend. Esperando chegar em Icecrown e oferecer seus serviços ao Lich King, o Archmage passou pelas ruínas de Azjol-Nerub. Kel’Thuzad viu então por si mesmo o alcance e a ferocidade do poder de Ner’zhul. Ele começou a acreditar que aliar-se ao misterioso Lich King poderia ser tanto sábio quanto potencialmente frutífero.

Depois de longos meses trilhando ásperas e gélidas terras abandonadas, Kel’Thuzad finalmente chegou ao sombrio Icecrown Glacier. Ele se aproximou audaciosamente da cidadela de Ner’zhul e ficou surpreso quando os guardas Undeads silenciosamente abriram-lhe passagem. Kel’Thuzad desceu através do solo gélido, fazendo caminho em direção à base da geleira. Lá, na infinita caverna de gelo e sombras, ele se prostrou diante do Frozen Throne e ofereceu sua alma ao sinistro mestre dos mortos. O Lich King, satisfeito com seu recrutamento, prometeu à Kel’Thuzad a imortalidade e enorme poderes, em troca de sua lealdade e obediência. Faminto por poder e pelos conhecimentos das trevas, Kel’Thuzad aceitou sua primeira grande missão: ir ao mundo dos homens e fundar uma nova religião, que adoraria o Lich King como a um Deus.

Para ajudar o Archmage a completar sua tarefa, Ner’zhul manteve sua humanidade intacta. O velho, porém carismático mago estava incubido de usar seus poderes de ilusão e persuassão para levar a oprimida e desprivilegiada massa de Lordaeron à um estado de confiança e crença. Então, assim que tivesse sua atenção, ele ofereceria à eles uma nova visão do que a sociedade poderia ser – e uma nova figura pra chamarem de Rei.

The Cult of the DamnedKel’Thuzad retornou à Lordaeron disfarçado, e ao longo de três anos, usou sua fortuna e intelecto para criar uma irmandade clandestina de homens e mulheres. Essa irmandade, que ele nomeu como Cult of the Damned, prometia a seus membros igualdade e vida eterna em Azeroth, em troca dos seus serviços e obediência a Ner’zhul. Com o passar dos meses, Kel’Thuzad encontrou muitos voluntários para o culto entre os fatigados e sobrecarregados trabalhadores de Lordaeron. Foi surpreendentemente fácil para Kel’Thuzad alcançar sua meta, que era a de transferir a fé dos cidadãos pela Holy Light (Luz Divina) para a crença nas sombras de Ner’zhul. Enquanto o culto crescia em tamanho e influência, Kel’Thuzad assegurava-se de ocultar seus trabalhos perante as autoridades de Lordaeron.

Com o sucesso de Kel’Thuzad em Lordaeron, o Lich King fez seus preparativos finais para o seu assalto à civilização humana. Concentrando a praga em um número de artefatos portáteis chamados de plague-cauldrons (caldeirões de praga), Ner’zhul ordenou Kel’Thuzad  a transportar esses caldeirões para Lordaeron, onde seriam escondidos pelos habitantes, membros do culto. Os caldeirões, protegidos pelos leais ocultistas, agiriam como geradores da praga, derramando-a pelas fazendas e cidades do norte de Lordaeron.

O plano do Lich King funcionou perfeitamente. Muitos vilarejos ao norte de Lordaeron foram contaminados quase imediatamente. Como em Northrend, os cidadãos que contraíam a praga morriam e renasciam como escravos da vontade do Lich King. Os membros do culto de Kel’Thuzad estavam ávidos pela morte e o renascimento a serviço de seu mestre. Eles exaltavam a perspectiva da imortalidade como Undeads. Com a proliferação da praga, cada vez mais, ferozes zumbis renasciam nas terras do norte. Kel’Thuzad observou o crescente exército do Lich King e o nomeou como a Scourge. E logo este exército marcharia pelos portões de Lordaeron e eliminaria a humanidade da face da terra.

Próximo Capítulo: A Aliança se desintegra

Wow Lore

Tradução: Éric Coutinho

.

Clique pra curtir a página no Facebook

Comenta aí embaixo pra compartilhar no Facebook!

You may also like...

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *